EUA: Necessidade de Ações Decisivas

Publicado por: Editor Feed News
29/05/2024 03:56 PM
Exibições: 154
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela

Apoio dos EUA à Ucrânia: Equilibrando Promessas e Riscos de Escalada


Os problemas da Ucrânia vão além da simples falta de recursos. A recente disputa sobre o pacote de ajuda dos EUA demonstra o paradoxo estratégico na abordagem de Joe Biden para a Ucrânia. Por um lado, ele prometeu que “o compromisso com a Ucrânia não enfraquecerá” e que o apoio dos EUA será fornecido “enquanto for necessário”. Ao mesmo tempo, a administração Biden expressa constante preocupação com a escalada e a perspectiva de confronto direto com a Rússia nuclear, conforme relata a Foreign Policy.

 

Objetivos Contraditórios
Os objetivos de apoiar a Ucrânia e evitar a escalada são louváveis, mas, juntos, começam a trabalhar para resultados diferentes. Eventualmente, o ato de equilíbrio de Biden pode se tornar insustentável. A estratégia da administração Biden para a Ucrânia se baseia na ideia de que Kiev, com o apoio coletivo do Ocidente, tem o tempo a seu favor. Inicialmente, isso se mostrou verdade após a Ucrânia repelir a invasão russa. No entanto, a suposição de que o tempo está do lado da Ucrânia agora parece cada vez mais duvidosa.

 

Mudanças no Campo de Batalha
A Rússia está reconstruindo suas forças armadas "muito mais rapidamente do que as estimativas iniciais" e suas forças armadas são agora maiores do que antes da guerra. Apesar das sanções, a economia russa mostrou um crescimento modesto em 2023 e está bem posicionada para continuar crescendo este ano. Por outro lado, a posição estratégica da Ucrânia está se tornando cada vez mais perigosa. Com falta de armas e munições, as Forças Armadas Ucranianas foram forçadas a ceder terreno na frente, enquanto a Rússia alcançou ganhos significativos desde julho de 2022 e se prepara para uma ofensiva de verão.

 

Desafios Políticos e Mediáticos
Além das questões militares, a dinâmica política da guerra apresenta desafios. Há um ano e meio, os Estados Unidos demonstravam paciência para apoiar a Ucrânia, mas agora a assistência futura enfrenta obstáculos significativos. A ajuda futura à Ucrânia pode depender de quem vencer as eleições nos EUA. A Ucrânia também tem menos capacidade para mudar a narrativa estratégica, especialmente com a atenção mediática focada em uma nova guerra no Oriente Médio e nas próximas eleições presidenciais nos EUA.

 

Notas de Otimismo
Nem todas as notícias são ruins. O apoio europeu continua forte e crescente. Alguns países, como França e Lituânia, indicaram disposição de enviar forças terrestres para o conflito, enquanto outros, como Grã-Bretanha e Noruega, estão mais dispostos do que os Estados Unidos a permitir que a Ucrânia ataque alvos dentro da Rússia. Com 60 bilhões de dólares em ajuda, a Ucrânia ainda possui muitos recursos e tempo estratégico.

 

Necessidade de Ações Decisivas
Para mudar a maré, a Ucrânia precisará atacar profundamente a Rússia. A Grã-Bretanha já deu um passo nessa direção, permitindo que a Ucrânia utilizasse mísseis de cruzeiro Storm Shadow para atacar o território russo. Os EUA também devem considerar autorizar o uso de ATACMS para atacar alvos dentro da Rússia. A Ucrânia também precisará de uma força aérea robusta para ter sucesso em futuras contra-ofensivas terrestres. Os caças F-16 que alguns aliados dos EUA na Europa enviarão para a Ucrânia ajudarão, especialmente se equipados com as munições adequadas.

 

Preparação para uma Nova Contra-Ofensiva
A Ucrânia precisará assumir riscos operacionais maiores para criar avanços significativos. Isso pode custar grandes perdas em mão-de-obra e materiais, mas é necessário para destruir as linhas defensivas russas. A guerra na Ucrânia pode parecer sombria agora, mas o resultado do conflito ainda está longe de ser certo. A Ucrânia precisa de mais equipamento e munições, e os mais recentes pacotes de ajuda fornecem os recursos necessários.

 

Mudança de Abordagem
A Ucrânia e seus apoiadores ocidentais precisarão mudar sua abordagem global. A Ucrânia não pode mais se dar ao luxo de simplesmente esperar pelos russos; precisa partir para a ofensiva. Para a administração Biden, isso significa abandonar um dos pilares de sua estratégia dos últimos dois anos e aceitar as consequências potencialmente escaladoras que possam surgir.

 

Perspectivas para a Guerra
O presidente Volodymyr Zelensky observou que os parceiros da Ucrânia temem uma derrota da Rússia na guerra devido às consequências imprevisíveis para a geopolítica global.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados