Lula gera controvérsia ao acusar Israel de genocídio em Gaza

Publicado por: Editor Feed News
21/02/2024 12:04 AM
Exibições: 136
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela

Comentários de Lula geram reação forte de Israel

 

Fala rotuladas de antissemitas e "combinação ultrajante de ódio e ignorância".

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, causou polêmica ao acusar as forças armadas israelenses de cometer genocídio na Faixa de Gaza durante uma coletiva de imprensa em Adis Abeba, na cúpula da União Africana.

 

Lula afirmou que o que ocorre em Gaza não é uma guerra convencional, mas sim um genocídio, destacando a disparidade de forças entre um exército altamente treinado e a população civil, principalmente mulheres e crianças. As comparações dramáticas incluíram uma alusão à era de Adolf Hitler durante o Holocausto.

 

Essas afirmações provocaram uma resposta imediata de Israel, que considerou as declarações "vergonhosas" e convocou seu embaixador para uma "severa reprimenda". O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu expressou indignação, acusando Lula de ultrapassar limites e banalizar o Holocausto.

 

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, classificou os comentários como "vergonhosos e sérios", enfatizando que o direito de Israel à autodefesa não será comprometido.

 

A comparação feita por Lula entre a atual situação em Gaza e o Holocausto foi considerada antissemita e uma "combinação ultrajante de ódio e ignorância" pelo chefe do Memorial do Holocausto Yad Vashem, Dani Dayan.

 

A guerra do Estado judeu com o Hamas começou em 7 de outubro, depois de os terroristas da organização realizarem um ataque sem precedentes no sul de Israel , que matou cerca de 1.200 pessoas, a maioria civis, e raptou 253 pessoas, acompanhado de atos de brutalidade, incluindo violência sexual. Aliás, fato do qual o Sr. Lula não se manifestou.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados