Linfoma não-Hodgkin: entendendo esse tipo de câncer do sistema linfático

Publicado por: Editor Feed News
22/07/2023 07:56 PM
Exibições: 117
Cortesia Editorial Pixabay/iStock
Cortesia Editorial Pixabay/iStock

 O linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer que afeta o sistema linfático, uma parte importante do sistema imunológico do corpo.

 

Diferente do linfoma de Hodgkin, o linfoma não-Hodgkin que tem afetado milhares de pessoas, entre os quais, recentemente, o cantor Jorge Aragão, é caracterizado pelo crescimento desordenado das células linfáticas, o que pode levar à formação de tumores em diferentes partes do corpo. Neste artigo, vamos explorar os principais aspectos desse tipo de câncer, incluindo causas, sintomas, diagnóstico e opções de tratamento.

 

Causas: As causas exatas do linfoma não-Hodgkin ainda não são totalmente compreendidas. Sabe-se que esse tipo de câncer ocorre devido a exames genéticos nas células do sistema linfático, fazendo com que elas se multipliquem de forma descontrolada. Alguns fatores de risco foram identificados, como a idade avançada, história de toxicidade viral, história familiar de linfoma, imunodeficiências e exposição a certos agentes químicos ( agrotóxicos, inseticidas e outros tipos de defensivos).

 

Sintomas: Os sintomas do linfoma não-Hodgkin podem variar de acordo com o local do tumor e o estágio da doença. Alguns dos sintomas mais comuns incluem aumentos nos gânglios linfáticos, principalmente na região do pescoço, virilha e axilas. Outros sintomas podem incluir febre recorrente, suores noturnos, perda de peso inexplicada, fadiga, dor no corpo, aumento do volume do tórax e do abdômen, tosse persistente e falta de ar.

 

Diagnóstico: O diagnóstico do linfoma não-Hodgkin envolve uma série de testes e procedimentos. Inicialmente, o médico fará uma avaliação clínica e física, analisando os sintomas do paciente e examinando os gânglios linfáticos inchados. Em seguida, poderão ser solicitados exames de imagem, como radiografias, tomografias ou ressonâncias magnéticas, para identificar a localização e o tamanho dos tumores. A confirmação do diagnóstico geralmente é obtida por meio de uma biópsia, na qual uma pequena amostra do tecido afetado é retirada para análise laboratorial.

 

Tratamento: O tratamento do linfoma não-Hodgkin pode variar de acordo com o tipo e estágio da doença, bem como com as características do paciente. As opções de tratamento mais comuns incluem a quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e terapia-alvo. Em alguns casos, pode ser necessária a combinação de diferentes modalidades de tratamento. O objetivo do tratamento é controlar a doença, reduzir os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

 

Por fim o linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer do sistema linfático que requer cuidados médicos especializados para um diagnóstico e tratamento adequado. É fundamental estar atento aos sintomas e buscar ajuda médica assim que possível. Com os avanços na área da oncologia, há cada vez mais opções de tratamentos disponíveis, oferecendo esperança e melhores resultados para os pacientes com linfoma não-Hodgkin

 

Artigo pensado, pesquisado e publicado por:

Mike Nelson Conteúdista da The Mobile Television Network

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags: