Mataram Pedrinho o Matador

Publicado por: Editor Feed News
06/03/2023 07:31 PM
Exibições: 81
Divulgação/Redes Sociais
Divulgação/Redes Sociais

Pedro Rodrigues Filho, o Pedrinho Matador, foi este domingo assassinado a tiro e degolado. O assassino em série, de 68 anos, foi morto na calçada em frente a casa de familiares, em Mogi das Cruzes, São Paulo.

 

Isso foi publicado pela Agência Lusa que o maior assassino em série do Brasil, Pedro Rodrigues Filho, conhecido como “Pedrinho Matador“, foi morto por encapuzados nos arredores de São Paulo, em frente à casa da irmã.

 

Considerado um dos mais impiedosos assassinos em série do Brasil, “Pedrinho Matador” confessou ter matado mais de 100 pessoas, incluindo o pai.

 

Condenado a mais de 400 anos de prisão, foi libertado em 2018, depois de cumprir uma pena de 42 anos. Após a sua libertação, converteu-se numa celebridade do YouTube, lançou um livro e fez um documentário.

 

O assassino, de 68 anos, foi baleado em frente à casa da  irmã, no bairro Ponte Grande, na região de Mogi das Cruzes, nos arredores de São Paulo. De acordo com a polícia, dois homens encapuzados saíram de um carro e dispararam à queima-roupa.

 

De acordo com depoimento de uma familiar à polícia, citado pela Globo, Pedrinho estava sentado numa cadeira em frente a sua casa quando o veículo parou na rua.

 

Um dos homens disse à prente “não é nada com você,  pega sua filha e entra para sua casa”, após o que os dois encapuzados dispararam contra Pedrinho. Seguidamente, um dos suspeitos degolou a vítima, que  já se encontrava caída.

 

Os dois atacantes fugiram do local no mesmo carro em que chegaram. Não há ainda registro de qualquer prisão.

“Pedrinho Matador” foi acusado de ter matado pelo menos 71 pessoas, incluindo narcotraficantes, estupradores, pedófilos e ladrões.

 

O assassino em série confessou ter matado mais de 100 pessoas, mas parte das mortes teria ocorrido enquanto ainda estava preso.

 

Em entrevistas, o assassino disse que matava “por prazer e vingança” quem tinha um passado criminoso, e achava que “fazia um bem à sociedade“. Diz ter matado vários detidos na cadeia em que se encontrava preso porque “não ia com a cara deles” ou porque “roncavam demais”.

 

Nascido num meio pobre, nunca pôde estudar, e aos 10 anos já roubava no centro de São Paulo. Teria cometido as suas primeiras vítimas aos 11 anos.

 

Quando o pai ficou sem trabalho, não hesitou em disparar contra o vice-presidente do município de Alfenas por o ter despedido depois de o acusar de roubo. Anos mais tarde matou o próprio pai quando descobriu que este tinha assassinado a mãe.

 

Nos últimos anos, manteve-se ativo nas redes sociais, onde dizia ser “criador de conteúdo digital”. Apresentava-se como “ex-Pedrinho Matador” e divulgava a sua autobiografia, com o título de “Serial Killer (?) Eu não sou um monstro“. Até o momento da publicação a pagina ainda estava no ar no Facebook.

 

Com informações da Agência ZAP // Lusa

 

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados